Esplendor Brasil

Rosea Nigra

Vozes Paranaenses 3

Um amplo painel de realidades compõe os perfis biográficos com que o jornalista Aroldo Murá G.Haygert, de larga experiência, escreve este "Vozes do Paraná 3, retratos de paranaenses". O texto preciso do jornalista é sua marca registrada. A pesquisa sempre ampla dá mais vida a seus biografados.

Um amplo painel de realidades compõe os perfis biográficos com que o jornalista Aroldo Murá G.Haygert escreve este Vozes do Paraná 3, retratos de paranaenses. Com felicidade, consegue ele encadear o mundo de seus perfilados esmiuçando paisagens físicas e espirituais, algumas absolutamente fortes no universo paranaense. Por exemplo, os girassóis da Ucrânia, sendo parte da simbologia dos ucranianos, estão implicitamente vigorosos na presença de pelo menos 450 mil ucranianos e seus descendentes que no Paraná formam a mais expressiva comunidade eslava no Brasil.

          Girassóis, a terra roxa do Norte do Paraná, a saga desse povo singular que aqui foi chegando a partir do século XIX - são alguns elementos que emolduram a história de uma mulher fascinante, Oksana Boruszenko. Ela, espiritualmente curitibana, escreve verbetes para a Enciclopédia da Ucrânia, da Academia de Ciências daquele país. E mais importante para nós: Oksana percorre, pesquisando-os, os desafiantes caminhos da imigração eslava para o nosso Estado.

Figuras relevantes

 

             Momentos da terra e do povo

 

Com a proposta de focalizar novos nomes de homens e mulheres com papel relevante no Paraná de hoje, o terceiro volume dessa série pinça momentos da terra e de seu povo, alguns dos quais compondo etnografias insuperáveis. Assim, passa pela história de um ser simples, que fez carreira política ouvindo preferencialmente o povo igualmente simples do interior. E cantando com ele e para ele um repertório de músicas chamadas de raiz. É Orlando Pessuti, governador do Paraná, que, quando jovem, pés descalços marcados pelo barro, enfrentava o sol a sol da roça. Autêntico pé vermelho.

 

Esse Paraná de Vozes do Paraná 3 decompõe ângulos de outro homem com grande poder decisório sobre milhões de paranaenses, o prefeito de Curitiba, Luciano Ducci.  Quando jovem ajudava o pai na banca de frutas no Mercado Municipal de Curitiba, depois foi líder estudantil em movimentos da esquerda democrática, tornou-se médico pediatra especializado em Pneumologia e altamente requisitado. Até que um dia resolveu largar tudo para cuidar só de saúde pública. A política chegou-lhe como irrefreável apelo, parte do qual começou a escutar ainda como universitário.

 

Exemplos de competência

 

Cícero de Andrade Urban, cirurgião oncologista, professor universitário, especialista em Bioética, é cada vez mais requisitado, no país e exterior, para falar das áreas em que já é referencial. No começo deste 2010, falou num fim de semana em Nova York, para grupo de médicos americanos reunidos na sociedade dedicada a estudar o câncer de mama. Ele é o vice-presidente de sociedade cultural de grande contribuição ao estudo de temas instigantes, o Instituto Ciência e Fé, de Curitiba.

 João Elísio Ferraz de Campos é, no livro, o forte exemplo da competência administrativa. Já foi governador do Paraná, por dez meses, tempo curto mas que com ele foi suficiente para deixar realizações na História política e administrativa do Estado. Homem que se identifica pela capacidade de diálogo, ele é o personagem que, conforme mostra Aroldo Murá, teve grande sentido premonitório em sua administração. Exemplo foi a criação em seu governo de uma lei estadual de responsabilidade fiscal, absolutamente pioneira, que precedeu, anos à frente, à lei federal similar.

 

Especialista em história

 

Moema Viezzer, ecologista, educadora voltada à defesa ambiental, notabiliza por ações no Brasil todo; Antônio Carlos da Costa Coelho, um especialista na história daqueles que, em última instância, estão nas raízes de nossa cultura cultural Ocidental – os judeus; Edmilson Mário Fabbri, o médico que ensina a combater o stress e diz porque sua visão de Medicina comporta olhar holístico; Ibrahim Fayad é indissociável da vida do Oeste do Paraná, o homem que garantiu o crescimento de uma cooperativa paradigmática de nosso agrobusiness;  Hélio de Freitas Puglieli formou gerações de jornalistas na Universidade Federal do Paraná, é mestre que deixou saudade. Aroldo Murá o chama de “editorialista do Paraná”, pelo conjunto de sua obra na mídia escrita paranaense desses últimos quarenta anos.

          O reverendo Jean Carlos Selleti, coordenador do Curso de Teologia da Faculdade Evangélica do Paraná, é boa amostra de jovens lideranças do mundo evangélico brasileiro, com formação acadêmica sólida e capacidade de

Liderar denominações históricas. Ele é um dos dirigentes da sua Igreja Presbiteriana Independente, além de doutorando em Bioética.

 

A Força do pensamento

 

 Irmão Dario Bortolini, religioso marista, é o “executivo do Senhor“, aquele que cuida de projetos educacionais de grande envergadura, como a PUCPR, e de colégios e obras sociais exemplares. Ele é o presidente da mantenedora desse conglomerado educacional marista no PR, SC, SP, Mato Grosso e Brasília. Só a sua editora, a FTD, produz dezenas de milhões de livros didáticos/ano; o perfil de Luiz Geraldo Mazza em Vozes do Paraná 3 não  se limita às marcas biográficas de quem é inseparável da alma de Curitiba. Aroldo Murá o chama de “Indispensável”, adjetivo que é ponto de partida para o ensaio em que  Mazza é apresentado como elemento essencial na história da Capital desse últimos 60 anos. Essencial por aquilo que Mazza viu, viveu e ajudou a construir. Isso tudo com um seu senso crítico “parceiro de sua alma anarquista”, segundo o autor.

            Não bastasse esse rol de homens e mulheres com vidas e histórias exemplares – e curiosas – o volume de Vozes do Paraná 3 traz momentos daquela que deve ter sido a última entrevista do crítico literário Wilson Martins.

O mestre, poucos meses antes de sua morte, fala das ‘glórias municipais”, diz quem considera importante na literatura paranaense e arrisca explicação sobre porque foi boicotado por parte da academia. A entrevista é acompanhada de fotos históricas – Wilson com homens e mulheres que marcaram a literatura brasileira do século XX.

          Não menos importante é o perfil “casado” de Lylian e Tulio Vargas. Ela, reconhecida pela competência e criatividade com que atua em marketing empresarial; Túlio, o escritor que tornou visíveis fatos notáveis da História do Paraná, escrevendo e “popularizando” temas que mostram homens, mulheres e episódios da civilização paranaense.

voltar

Confira algumas imagens do livro.